E se o “egoísmo humano” for um mito interesseiro?

Por: George Monbiot –  Tradução: Inês Castilho – Outras Palavras – 14/10/2015

Novas pesquisas sugerem: nossa espécie é majoritariamente colaborativa, altruísta e solidária. Ideia da ganância coletiva pode ser projeção ideológica dos que concentram poder e capital

Imagem: Marcos Alves

Imagem: Marcos Alves

Você se debate contra os sinais de indiferença e egoísmo humanos? Sente-se oprimido pela sensação de que se preocupa com o mundo, ao contrário de muitos outros? Julga que a indiferença de pessoas iguais a você está esvaziando o que resta da civilização e da vida na Terra? Se assim é, você não está sozinho. Mas também não está certo. Continuar lendo

CEOs de empresas de tecnologia chegam a ganhar mais de 100 vezes a média salarial de seus funcionários

Por: Vitor LuísInstituto Myrdal

nova norma aprovada pelo regulador de mercados financeiros dos Estados Unidos (SEC), em que as empresas seriam obrigadas a divulgar a proporção dos salários de seus CEOs em relação ao dos funcionários, trouxe a tona um estudo do centro Economic Policy Institute que comprova como há 50 anos atrás a disparidade salarial chegava a ser 300 vezes menor do que é hoje.

Também na onda da nova medida, o site estadunidense Glassdoor, fez um ranking comparando a proporção salarial entre CEOs e empregados em empresas de tecnologia , de acordo com o relato dos funcionários dessas empresas. A proporção é baseada em quantos dólares o CEO da empresa ganha para um dólar da média salarial de um funcionário em um ano. Continuar lendo

Como vive uma faxineira na Suécia

Por: Claudia Wallin – Diário do Centro do Mundo – 03/06/2015

A faxineira Beata e seu BMW 325 conversível

A faxineira Beata e seu BMW 325 conversível

Por Claudia Wallin, de Estocolmo. Claudia é autora de Um país sem excelências e mordomias, no qual retrata a vida pública na Suécia.

A polonesa Beata Romanowicz é a minha ajudante providencial das faxinas quinzenais, mas nem sempre está a postos. Nos finais de semana, ela costuma desaparecer como um Aécio em dia de manifestação pró-impeachment. É quando Beata e o marido, o pedreiro Jacek, saem para passear e pescar no arquipélago sueco a bordo do barco do casal, um confortável Bayliner americano de dez metros de comprimento. Continuar lendo

Gente é para brilhar e não morrer de fome

Por: Rui Daher – Carta Capital – 15/05/2015 às 10h39

Como disse Caetano Veloso, em 1977, o bem-estar social deve ser política de estado, independente do partido no governo. Mas no Brasil as soluções vêm de cima e nos esquecemos dos de baixo

Economistas discutem modelos econômicos, ajustes e sacrifícios de forma total e se esquecem das mazelas do povo

Economistas discutem modelos econômicos, ajustes e sacrifícios de forma total e se esquecem das mazelas do povo

Nas discussões sobre economia é cada vez mais ausente o tema do bem-estar social. Se gente fosse elemento químico e constasse da tabela periódica poderia ter o símbolo G, assim como cobre tem Cu. Quem confundisse e optasse pelo contrário sairia das normas da simbologia, mas não da Economia.

Continuar lendo